jusbrasil.com.br
3 de Abril de 2020

Abandono Afetivo

Nágila Oliveira, Advogado
Publicado por Nágila Oliveira
há 2 meses

Hoje vamos falar dos genitores que abandonam os filhos afetivamente (intencionalmente)!

O abandono afetivo provoca sérios danos a vida de uma criança. A infância é marcada pela construção da personalidade e caráter do indivíduo. Estudos revelam que os adultos que declararam não ter convivido com um dos genitores na infância tem maior probabilidade de desenvolvimento de transtornos mentais e comportamentais, além, da contínua propulsão a comportamentos violentos.

A expectativa da própria criança é que seus pais sejam presentes em sua jornada, sendo referência e apoio nas inúmeras fases de desenvolvimento que ela vai enfrentar. Essa convivência entre pais e filhos não deve ser entendida como um direito exclusivo dos genitores não-guardiões, mas sim, um direito da criança protegido inclusive por lei federal.

A afetividade é elemento essencial ao desenvolvimento humano, acolher moral e materialmente a criança é obrigação elementar da condição paternal/maternal. 📍 Existem vários julgados no País que reconhecem a indenização por danos morais em razão do abandono afetivo dos filhos.

Pratique a paternidade responsável!

Quer saber mais? Manda um direct!

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)